"Bem-aventurada a que creu, porque serão cumpridas as palavras que lhe foram ditas da parte do Senhor" Lc. 1.45.

COMPLEXO DA BARBIE

Se eu me olhar no espelho vou perceber rapidamente que não sou a boneca Barbie. Não tenho cabelos de Barbie nem olhos de Barbie, muito menos o corpo da Barbie. Também não tenho intenção de posar nua para uma revista masculina, nem acredito que as músicas que tratam a mulher como mero objeto sexual têm a ver comigo.

Infelizmente, o corpo da mulher se tornou algo banal, uma mercadoria barata. O valor da mulher está no seu corpo, mais precisamente nos seus seios e nádegas. Ai daquelas que estão com uns quilinhos a mais! O padrão de beleza atual tem levado muitas jovens a enfrentar o quadro de doenças como bulimia e anorexia. E ai daquelas que têm os cabelos encaracolados!

Querer se arrumar, ir ao cabeleireiro, comprar uma roupa nova e até mesmo praticar esportes ou fazer exercícios físicos não é o problema. O problema é querer ser Barbie; é pensar que um corpo esculpido é garantia de felicidade, e esquecer que o coração é que precisa ser esculpido e os neurônios sarados. A Bíblia mesmo fala que a alegria produz a beleza do rosto: "O coração alegre aformoseia o rosto; mas pela dor do coração o espírito se abate" (Pv 15.13).

É difícil manter uma auto-estima elevada num mundo que valoriza um corpo de Barbie. Difícil não perder horas se castigando em frente ao espelho por não ter conseguido alcançar o objetivo de só comer alface todo dia até atingir um corpo de modelo.

Mas o que nós, mulheres cristãs, temos a ver com isso? Que respostas práticas daremos ao problema da banalização do corpo da mulher? Iremos nos conformar, ou melhor, nos apropriar do modelo de mulher que nos é imposto? É possível resistir? De que maneira, toda essa preocupação com a beleza atrapalha a nossa inserção no mundo, na sociedade?

Se você tem a oportunidade de conviver com mulheres bonitas, se prestar atenção irá perceber que essas Barbies da vida fumam, bebem, se drogam, ficam doentes e muitas não são amadas como gostariam. Mesmo tendo um corpo escultural não conseguem encontrar um grande amor.

Em vez de tentarmos ser Barbies, devemos ficar com a sabedoria do livro de Provérbios e buscarmos a virtude, porque "enganosa é a graça, e vã é a formosura; mas a mulher que teme ao Senhor, essa será louvada" (Pv 31.30).

Fonte: Revista Uniao Feminina Batista

4 comentários:

Mulheres Virtuosas disse...

Olá, querida Adriana Rangel, o importante é sermos alegres, ter paz de espírito no coração, saber amar... se cuidar porque somos cristãs e não relaxadas, mas sem exageros.
Existem muitas mulheres que vivem com esse complexo porque ainda não tiveram um encontro com o Senhor Jesus, então o diabo fica colocando coisas na mente delas, só pra diminuir a beleza verdadeira, que vem da fé.Um abraço!

Julyane disse...

Olá Adriana, que saudades! Meu tempo está tão curto que dei uma sumida dos blogs mas aqui estou postando pois achei maravilhosa essa postagem mas eu estou inclusa naquelas que ...ai das que estão com uns quilinhos a mais!Pois o casamento me fez tão bem menina!!!Que nem tiro mais foto atual de mim para não assustar a mim mesma...
Um grande bjO.

Mario Neves disse...

Olá Adiana!Passando aqui para uma carinhosa visita e desejar um final de semana multicolorido pelas graças do Senhor.Amiga a semana que vem é uma semana Santa desejo que ela santifique os seus dias durante todo o ano.Saudações Poeticas - Mario Neves

Anônimo disse...

Olá querida! Muitas mulheres se preocupam com o seu exterior e não cuida do coração, da alma, pois pára Deus esse que é o importante. É claro, que não vamos nos relaxarmos, porém não fazermos de nosso corpo, o centro da nossa vida. A paz em Cristo Jesus é muito importante.Que Deus continue te abençoando. Dei uma pausa, logo voltarei. Beijinhos.

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios